O Grande Irmão está de olho na sua empresa.

O Grande Irmão está de olho na sua empresa.

0 Comentários

Não, não estou falando do governo. Ele também, óbvio. E, sim, não só na sua empresa; em você igualmente.

Na realidade, como já referi em outro texto, sinto-me, hoje, meio entre os mundos distópicos de Aldous Huxley (Admirável mundo novo) e George Orwell (1984); entre essa busca coletiva incessante de felicidade ou de demonstração de felicidade (Admirável mundo novo) e o estado de observância completa de todos sobre todos (1984).

Estes dois fatores conjugados são o grande perigo contemporâneo. As pessoas não sabem – ou não dão importância – que não são só os amigos que observam suas fotos, viagens, check ins, comentários, aquisições, tudo isso exposto nas redes sociais. Há o vilão moderno que estuda seu comportamento na rede. Se ele for um pouco mais especializado, vai usar algoritmos (programas) para decifrar você. Para se ter uma ideia, esses algoritmos, utilizados comercialmente, descobrem seu estado de espírito pelos seus cliques e acessos na internet, e apresentam produtos e serviços que você teria tendência a comprar. Normalmente acertam!! Ou você achava que o Google funciona “de graça”?

Agora pense como isso influi na sua empresa, possível vítima, independentemente de tamanho. A despreocupação com a segurança digital em si (programas antivírus e sistemas) e com a preparação de sua equipe (não adianta ter os melhores sistemas e pessoal que clica em qualquer mensagem que recebe) é a porta de entrada para problemas sérios.

O atual campeão de prejuízos às empresas é o sequestro virtual (ransomware). Através de um vírus (genérico), o cracker (bandido) bloqueia o sistema da empresa ou “furta” dados e informações. E só libera o sistema ou devolve os dados com o pagamento de um resgate (ramson), normalmente em moeda digital (bitcoins).

Parece bobagem, mas não é. Acontece diariamente no Brasil (e no mundo). Segundo o FBI, os sequestros de dados somaram um prejuízo de US$ 1 bilhão em 2016, contra US$ 250 mil em 2015 (Brasil como líder dos ataques na América Latina). Há projeções de decuplicar esse ano. Dependendo das informações acessadas ou da urgência da necessidade de liberação, os empresários se rendem à extorsão.

Dessa forma, a precaução é o melhor remédio, através de compliance na área digital com suporte de especialistas tanto de Direito Digital quanto de TI, minizando os riscos.

Imagem: Stockvault.net

0

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *