Sua empresa já foi invadida?

Sua empresa já foi invadida?

0 Comentários

Cotidianamente tem-se ouvido falar de ataques cibernéticos das mais diversas naturezas. E, assim como inúmeras fatalidades que sempre se imagina que só ocorrerão com os outros ou com as empresas dos outros, os problemas nos meios digitais, informáticos ou internéticos podem acontecer com qualquer empreendimentos, inclusive com os nossos.

Muitas vezes os ataques somente são descobertos quando é tarde demais. Ou, por qualquer questão estratégica ou política, são divulgados apenas quando a poeira supostamente já baixou. Exemplo disso é a notícia apresentada pela revista Exame on line nesta semana, replicando notícia do jornal britânico Guardian: “A empresa de auditoria e contabilidade global Deloitte sofreu um ataque cibernético sofisticado que resultou em uma violação de informações confidenciais e planos de alguns de seus maiores clientes”. Link para a notícia completa aqui: https://goo.gl/nqynkV.

É possível imaginar o risco que todas as empresas correm se uma empresa global de auditoria e consultoria sofre um ataque que pode expor informações tão sensíveis como dados confidenciais e planos estratégicos. Isso demonstra o quanto a preocupação com segurança e programas de integridade nas empresas é necessária e importante.

Por outro lado, é comum executivos ou empresas menores acreditarem que não são alvos em potencial por entenderem que não são interessantes de nenhuma forma para os criminosos cibernéticos. Os crackers, porém, não pensam assim até descobrirem o que há efetivamente por trás dos sistemas que tentam invadir – e invadem. E o que aparentemente é criminalmente desinteressante, pode se tornar um instrumento de extorsão para o cibercriminoso, afinal, o único que não tem nada a perder é o marginal nesse caso. E as pessoas (físicas ou jurídicas) se surpreendem o quanto eram vulneráveis apenas quando se deparam com o problema.

A nova realidade não é motivo para pânico ou neuroses; apenas para preocupações e cuidados, pois quanto menor a dificuldade para acessar o sistema, mais interessante ele se torna para os mal intencionados. E um bom programa de integridade não se faz apenas com bons equipamentos e aplicativos anti-vírus. Depende da (re)educação de toda a equipe também (e principalmente). Pense nisso!

Imagem: stockvault.net

2

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *